Cuidados com seu animal no verão

novembro 18, 2013 em Informe Pet15


Bem como nós humanos, os animais sofrem (e muito) com as altas temperaturas provenientes desta época do ano (verão). Logo, há necessidade de redobrar os cuidados com seu animal de estimação.

Em cães e gatos a maior parte de troca de calor, responsável pela regularização da temperatura corporal ocorre através da respiração, e pouco ocorre pela transpiração (através das glândulas sudoríparas presentes no coxim plantar), diferente do ser humano, em que ocorre a troca de calor em larga escala através da transpiração.

A temperatura corporal destes animais é na média de 38º/39ºC, mas em situações de muito calor, a hipertermia ocorre rapidamente, podendo chegar a atingir 41ºC, e o animal pode ter convulsões, diarreia, vómitos, desmaios, progredindo para óbito, se não for socorrido a tempo.

Animais que possuem o focinho curto, estão acima do peso (obesos), de idade avançada ou com alguma patologia (doença do carrapato, anemia, viroses…) são mais predispostos a desenvolver hipertermia, e são considerados grupo de alto risco.

Assim, deve-se redobrar a atenção com seu animal (sendo ele grupo de risco ou não) durante o passeio diário, e o transporte em veículos, os quais devem ser realizados de maneira confortável para o animal.

Obrigar os cães a caminharem no asfalto quente provoca bastante desconforto, já que ele não tem qualquer proteção nas patas, e essas ficam completamente expostas às altas temperaturas.

Para evitar que o seu cão sofra problemas de saúde durante o verão, evite passear nas horas mais quentes do dia, e mesmo à noite, quando estiver quente, não obrigue a andar muito ou a correr; Nunca deixe seu animalzinho dentro do carro, mesmo que com os vidros abertos, pois a temperatura pode chegar rapidamente aos 40º ou mais graus; Não banhar com água quente, nem utilize o secador na temperatura máxima (sempre no morno ou frio); Não submeter o animal a situações de stress psicológico que o deixem ofegante por medo ou insegurança (“irritá-lo”); Deixe sempre a casinha dele em locais de sombra e com muita ventilação; Disponibilize água fresca e à vontade sempre; Muito cuidado com viagens longas, com transporte em avião ou ônibus.

18/11/2013

Taís Aline Bregion dos Santos

Médica Veterinária – CRMV/SP: 19.146